top of page

Leituras

insta.png
lelivros cor (1).png
leituras_0.png

5 autoras para amar a literatura brasileira

Você conhece essas mulheres revolucionárias?

 

Nas aulas de literatura na escola, as vozes masculinas destacavam-se, e aos 16 anos de idade devorei as páginas de Machado de Assis, José de Alencar, Manuel Bandeira e Carlos Drummond de andrade. Foi só mais tarde que descobri que as mulheres também faziam parte da literatura brasileira. Pra gente não esquecer das vozes femininas potentes - porém muitas vezes esquecidas - da nossa literatura nacional, trago hoje 5 autoras brasileiríssimas pra gente ler e se apaixonar:



Clarice Lispector (1920-1977)

Talvez uma mulher que dispense apresentações por conta de sua enorme fama junto do público leitor brasileiro. Para o poeta Drummond, "Clarice veio de um mistério, partiu para outro". Um dos maiores nomes da literatura brasileira, Clarice nos deixou romances, contos, crônicas, literatura infantil e até mesmo cartas de um valor inestimável.⁣



Carolina de Jesus (1914-1977)

Mulher, negra e pobre, sofreu todos os preconceitos imagináveis. Nem por isso deixou de escrever "Quarto de Despejo", um marco na história da literatura brasileira, que registra sua vivência como catadora de lixo e descreve o cotidianos da favela do Canindé em São Paulo, onde morava. Por isso, é considerada uma das primeiras e mais importantes escritoras negras do Brasil.⁣



Rachel de Queiroz (1910-2003)

Foi a primeira mulher a ingressar na Academia Brasileira de Letras e a receber o Prêmio Camões em 1993. Rachel escreveu "O Quinze", que se transformou em um clássico do modernismo, com apenas 19 anos. A obra não somente faz uma crítica aos problemas de desigualdade social na Região Nordeste, como também simbolizou um marco da emancipação da mulher brasileira.⁣



Ana Cristina César (1952-1983)

Poeta, crítica literária, professora e tradutora, foi um símbolo da "poesia marginal" brasileira - o movimento que permitiu que novas vozes poéticas se revelassem e se expressassem livremente em pleno regime militar, pois os poetas marginais evitavam editoras e livrarias, optando por outros meios menos convencionais para divulgar suas obras.⁣




Maria Firmina dos Reis (1822-1917)

Considerada a primeira romancista brasileira, foi uma mulher negra, pioneira na crítica antiescravista da nossa literatura. Seu primeiro romance, "Úrsula", lançou um gênero literário nunca antes visto no Brasil ao transformar o livro num instrumento de crítica à escravidão por meio da humanização de personagens escravizados. ⁣







 

Gostou das dicas?

Comprando livros na Amazon através desses link você ajuda a apoiar o Gigi Dá Aulas! :)


Clarice Lispector: https://amzn.to/3j1L9oI

Carolina Maria de Jesus: https://amzn.to/2W2YJiq

Raquel de Queiroz: https://amzn.to/3D0GXxj

Ana Cristina César: https://amzn.to/3kb0VN0

Maria Firmina dos Reis: https://amzn.to/3ybCDYB

Comments


bottom of page